sexta-feira, 21 de Março de 2014

Acampamento Distrital Juvebombeiro Moimenta da Beira - Viseu

Viaturas da GNR vão ter Desfibrilhadores


O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, considerou "muito importante" que a GNR possua viaturas de patrulhamento equipadas com Desfibrilhador Automático Externo e disse que o projecto vai ser alargado, gradualmente, a todo o país.

"A ideia é que seja alargado a outros comandos e a outros territórios do país. Vamos fazê-lo de forma gradual" porque "envolve a aquisição de algum equipamento, mas também a formação dos militares", prometeu o governante.

Miguel Macedo falava aos jornalistas na vila medieval de Monsaraz, no concelho alentejano de Reguengos de Monsaraz, depois de participar na cerimónia de apresentação da primeira viatura de patrulhamento da GNR equipada com um Desfibrilhador Automático Externo (DAE).

Este projeto da GNR arranca no Alentejo, mais precisamente com esta primeira viatura pertencente ao posto territorial de Telheiro/Monsaraz, o que transforma esta localidade na primeira, a nível nacional, a dispor de um carro de patrulha com esta valência.

No âmbito da iniciativa, as normais viaturas de patrulhamento passam a estar equipadas com DAE e os militares a deterem formação específica e certificação na utilização do equipamento, para resposta a casos de emergência de paragem cardiorrespiratória (PCR).

Proximidade

O DAE é um dispositivo eletrónico portátil que analisa o ritmo cardíaco em situações de PCR, aplicando nas situações indicadas um choque elétrico ajustado que visa retomar um ciclo cardíaco normal e, assim, recuperar a vítima.

"É uma componente muito importante de proximidade, de apoio e diversifica a atividade da GNR, muito embora não a desvie da sua missão principal que é de segurança", elogiou o ministro.

A GNR "não vai andar à procura de quem precise" de ser assistido com recurso ao DAE, mas o equipamento, dada a proximidade da Guarda em relação à população, pode fazer a diferença, frisou.

"Muitas vezes, a GNR é a primeira entidade que chega junto de uma situação destas [com vítima em paragem cardiorrespiratória]. É bom que possa dispor de um equipamento que faz a diferença entre a vida e a morte", salientou.

Neste tipo de cenários, continuou, não possuir um DAE "pode significar a morte, porque só 3% das pessoas é que se salvam", enquanto, com um equipamento destes à mão, "há a possibilidade de 74% das pessoas sobreviverem".

"É uma enorme diferença", referiu Miguel Macedo, considerando "muito positivo" e "significativo" este projeto da GNR.

Para a Guarda, a primeira viatura com DAE apresentada, esta sexta-feira, representa "uma enorme mais-valia no início do socorro a vítimas de paragem cardiorrespiratória, até chegada de ajuda diferenciada".

Depois de Monsaraz, a GNR prevê novas viaturas com este equipamento no posto territorial de Vendas Novas e no posto de trânsito de Estremoz.
Fonte: JN

Bombeiros do Alto Tâmega Com Novo Equipamento Individual


243 Bombeiros das corporações do Alto Tâmega terão novos equipamentos de protecção individual para combate a incêndios.


No âmbito de uma candidatura apresentada pela Comunidade InterMunicipal do Alto Tâmega (CIM-AT) ao Programa Operacional integrado no QREN foi aprovada a aquisição de Equipamentos de Proteção Individual para Combate a Incêndios em Espaços Naturais, um investimento de 127.729,00 euros, suportado em 85% por Fundos Comunitários (108.569.00 euros) e os restantes 15% repartidos de igual forma pela Autoridade Nacional de Protecção Civil (9.579.00 euros) e CIM-AT (9.579.00 euros)

O equipamento individual é constituído por botas, fato, luvas, capacete e cógula, e irá equipar 243 bombeiros, valor que corresponde a metade dos efectivos que constituem as 11 Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários (AHBV) dos seis concelhos do Alto Tâmega, assim distribuídos:
AHBV Boticas, 28; AHBV Carrazedo de Montenegro, 7; AHBV Cerva, 17; AHBV Chaves, 19; AHBV Flavienses, 44; AHBV Montalegre, 24; AHBV Ribeira de Pena, 30; AHBV Salto, 4; AHBV Valpaços, 18; AHBV Vidago, 25; e AHBV Vila Pouca de Aguiar, 27.

Com a finalidade de serem reforçadas as condições das estruturas de Segurança e Protecção Civil local, estes equipamentos deverão estar disponíveis antes da época de incêndios. No âmbito desta candidatura, foram estabelecidos Protocolos de Colaboração com as várias Associações de Bombeiros e com os respectivos municípios.
Fonte: http://diarioatual.com/

A maior reserva natural da Europa está à frente dos nossos olhos

Como um fio condutor insistindo em unir duas margens que durante séculos estiveram desavindas, o rio Douro corre ao longo daquele que será o coração da maior reserva transfronteiriça da Europa, unindo vontades debaixo de um mesmo leque de oportunidades para uma região que, mais do que as riquezas da natureza, partilha os mesmos problemas e os mesmos anseios de crescimento.

A Reserva da Biosfera Transfronteiriça Meseta Ibérica, que está a nascer entre o Nordeste Transmontano português e as províncias de Zamora e Salamanca, em Espanha, espera ser o chapéu unificador de vontades e oportunidades para uma região deprimida demograficamente mas cheia de vontade de dar a volta à crise que se vive atualmente.

O objetivo deste projeto, que nasce no âmbito do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Zasnet, é aproveitar todo o potencial que a natureza ofereceu a esta região e criar uma grande marca que possa servir de atração quer de visitantes quer de investimentos.

Em primeiro lugar, porque não existe nenhuma outra reserva natural transfronteiriça (que englobe mais do que um país) com a dimensão que esta pode ter. Para além disso, o cunho da UNESCO acaba por servir de garantia de qualidade e ajudar a decidir os visitantes indecisos.

A somar a estes fatores estão outros como a proximidade com vias de comunicação estruturantes para o turismo, como seja a Autoestrada das Rias Bajas, um dos percursos privilegiados para os visitantes que se dirigem a Santiago de Compostela, por exemplo.

A reserva da biosfera acaba por funcionar como um conceito de desenvolvimento de uma região com muito em comum, sobretudo em termos naturais, cujo potencial está sub-aproveitado. Sendo uma marca, não funciona em si mesmo como limitadora de ação, como acontece, por exemplo com outro tipo de reservas naturais, como sejam os Parques.

Se em Portugal este conceito passa algo despercebido (existem sete), em Espanha são 45 as já existentes.
Esta pretende congregar quatro Parques Naturais e cerca de 40 sítios classificados como Rede Natura 2000. Só o Parque Natural do Lago de Sanábria, em Espanha (a cerca de 50 quilómetros de Bragança) atrai 700 mil visitantes por ano, mais do que os outros espaços deste projeto juntos.

Uma Reserva da Biosfera declarada pela UNESCO não implica nenhum tipo de restrições às atividades económicas das populações, funcionando, isso sim, como um selo de qualidade ambiental, que pode ser usado na promoção do desenvolvimento e do emprego. Ou seja, não acrescenta nenhuma restrição legal ao território que a integra.

Reservas da Biosfera geram desenvolvimento sustentável

A Declaração de Reserva da Biosfera surgiu há menos de meio século e é atribuída pela UNESCO, a mesma organização responsável, por exemplo, pelas declarações de Património da Humanidade.
Pretende conciliar o uso de recursos naturais com a sua conservação. Os EUA são o país com mais espaços deste género (47) seguidos de perto pela Espanha (45). Um dos mais conhecidos é o dos Picos da Europa, em Castela e Leão.

Das 621 reservas da biosfera existentes em todo o mundo, 12 são transfronteiriças. Esta seria a maior delas todas.

As reservas da biosfera da UNESCO promovem os produtos da região, o turismo em conformidade com o meio ambiente e uma agricultura inovadora que protege o ambiente. Este conceito pode servir como um guia de projetos que visem a melhoria da qualidade de vida das populações e assegurem a sustentabilidade ambiental.

Juvebombeiro Vidigueira - Beja

quinta-feira, 20 de Março de 2014

Antes cabras que aviões

Inteligente é sermos capazes de gerir o fogo e não precisar dos melhores meios possíveis para o tentar combater.

Exmo. senhor ministro da Administração Interna,

Li que tenciona gastar 27 milhões de euros em cada um dos aviões para os fogos.

Tenho uma proposta para lhe fazer: entregue-me os 27 milhões que custa um Canadair e deixe-me geri-los, absolutamente pro bono.

Explico-lhe o que farei com eles. Faço um concurso para projectos que tenham as seguintes características:

1) Terem uma área geográfica definida; 2) Usarem, de forma integrada, fogo, cabras e sapadores para gerirem o mato; 3) As mesmas pessoas responsáveis por gerir o mato serão responsáveis pelo combate nessa área geográfica (usando ferramentas com cabos de pau e pinga-lume, como alguém dizia um dia destes, judiciosamente).

Os projectos poderiam ser de proprietários, associações de proprietários, ONG, associações de bombeiros, qualquer pessoa ou instituição, excluindo o Estado e qualquer associação em que o Estado tivesse mais de 15% do capital.

Da experiência que tenho por gerir um projecto que tem algumas semelhanças com o descrito (financiado, veja lá, com o Fundo EDP de Biodiversidade, porque o Fundo Florestal Permanente é gerido como sabe), eu diria que tipicamente um financiamento de 500 mil euros seria suficiente para financiar cinco anos a gestão de qualquer coisa como 2500 a cerca de 5000 hectares, incluindo um rebanho de 200 cabras e apoio técnico, em especial para o uso do fogo, quer na prevenção, quer no combate.

O seu Canadair financiaria cerca de 50 projectos, ou seja, a gestão e combate em 100 a 200 mil hectares. Não ficaria o problema dos fogos resolvido, isso é certo, mas também não fica com o Canadair.

E repare na diferença. O Canadair é importado, as cabras são de fabrico nacional. O Canadair usa combustíveis fósseis, as cabras são recursos renováveis. O Canadair cria custos de manutenção, as cabras criam cabritos. O Canadair não altera os dados do problema, as cabras estrumam o solo e aumentam a produtividade. E, last but not the least, no fim do seu tempo de vida útil o Canadair dá ainda despesa para o seu desmantelamento e tratamento dos resíduos e as cabras dão chanfanas.

Não falo sequer na diferença de criação de emprego, não falo da presença de gente no território, não falo da diferença no equilíbrio territorial, não falo da transferência de recursos entre o litoral e o interior.

E não falo da sustentabilidade futura: o Canadair não cria riqueza e vai ser preciso de novo gastar mais 27 milhões qualquer dia, as cabras reproduzem-se e criam oportunidades de negócio incríveis, como pode imaginar, por exemplo, pensando na grande distribuição a fazer promoções de cabrito como forma de apoiar o esforço colectivo de gestão do fogo.

Pense nisto, senhor ministro, porque talvez estejamos de acordo num ponto essencial: inteligente, inteligente é sermos capazes de gerir o fogo e não precisar dos melhores meios possíveis para o tentar combater.

Até porque o fogo teima em se rir dos Canadair e outras sofisticações tecnológicas, continuando só a obedecer a quem o combate com os pés no chão, com as mãos em cabos de madeira e com uma cabeça fria que saiba usar o fogo contra o fogo.
fonte:Publico-ciencia

Major Paulo Campos é o novo presidente do INEM

Major Paulo Campos é o novo presidente do INEMPaulo Campos, major médico, vai ser o novo presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica. O JN sabe que a decisão do ministro da Saúde, Paulo Macedo, foi tomada nos últimos dias, após a Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública ter selecionado três nomes entre os candidatos que concorreram ao lugar.

Para trás ficaram Teresa Cardoso Pinto, da delegação regional do sul do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), e Vítor Almeida.

Aguarda-se a publicação do despacho de nomeação em Diário da República e o agendamento da tomada de posse, que deverá ocorrer em breve. Para o lugar de vogal do Conselho de Administração do INEM, Paulo Macedo escolheu José Manuel Mestre, ex-dirigente da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo.

Paulo Campos sucede a Regina Pimentel, que ocupou o cargo provisoriamente, após a saída, no final da comissão de serviço, de Miguel Soares de Oliveira.

O novo presidente do INEM é oficial do quadro permanente do Exército Português, tem 42 anos e é licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. A maior parte da sua carreira profissional foi em hospitais da região Norte.

Especialista em Medicina Interna, subespecialista em Medicina Intensiva e com competências em Emergência Médica, Paulo Campos já exerceu funções clínicas no Hospital de Pedro Hispano e no Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga. Passou também pelo Hospital Militar do Porto, onde assumiu funções de direção em alguns serviços.

Já foi operacional de Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) e dos helicópteros do INEM.
fonte:JN

SAIBA JÁ COMO VAI ESTAR O TEMPO NO FIM-DE-SEMANA:

Imagem de satélite actual:


Já se encontra em aproximação a frente fria que irá trazer a chuva e a descida das temperaturas já a partir de amanhã, assim:
-Amanhã: teremos um dia com chuva durante a madrugada e manhã passando gradualmente a aguaceiros, vento de sul ou sudoeste, subida das temperaturas mínimas e descida das máximas.

-Sábado: Dia de pós frontal, com aguaceiros mais prováveis até meio da tarde, que poderão ser acompanhados de trovoada e saraiva, a cota de neve baixará até aos 800m ao fim do dia (a probabilidade de precipitação será muito residual). Descida da temperatura com formação de geada.

-Domingo: Não se espera precipitação, o céu irá cobrindo-se de nuvens com o passar das horas a anunciar uma nova frente que nos trará chuva na 2ª feira. Descida da temperatura mínima com formação de geada.
fonte:

Acampamento Distrital da Juvebombeiro de Beja

Acampamento Distrital da JuveBombeiro de Beja inscrições abertas até 01 de maio de 2014.
Informações/inscrições: geral@juvedistritalbeja.org

95% dos proprietários não respeitam segurança

Em caso de incêndio, os responsáveis podem ter de responder criminalmente, mesmo desconhecendo a lei.

Confrontando-se com as crescentes dificuldades na aplicação do Regime Jurídico de Segurança Contra Incêndio aos edifícios existentes (SCIE), a Associação Portuguesa de Segurança (APSEI) promove, no dia 25 deste mês, um debate sobre a reabilitação na segurança contra incêndios, no Hotel Tivoli Oriente, em Lisboa.

A urgência deste debate surge da crença por parte desta associação de que as medidas de autoprotecção em edifícios, exigidas pelo regime de segurança contra incêndios, ainda não estarem a ser cumpridas por 95% dos proprietários, não só por desconhecimento da lei, mas também por contenção de custos.

"A maioria dos responsáveis pelos edifícios desconhece que é responsável, ao abrigo da legislação de segurança contra incêndio, pela manutenção das condições de segurança dos edifícios", disse ao i a secretária-geral desta associação, Maria João Conde, advertindo que, em caso de incêndio, esses responsáveis podem mesmo ser acusados criminalmente por eventuais prejuízos, caso as medidas de prevenção e emergência não tenham sido devidamente acauteladas.

A principal dificuldade dos profissionais de segurança contra incêndios prende-se precisamente pelo facto de os seus clientes, por norma proprietários ou responsáveis pela exploração dos edifícios, desconhecerem a lei. Além disso, a esmagadora maioria dos edifícios não tem as medidas de autoprotecção implementadas, nem garante a manutenção dos equipamentos de segurança contra incêndio instalados (por exemplo, meios de primeira intervenção, detecção de incêndio), apesar da imposição legal.

"As medidas de autoprotecção são procedimentos de organização e gestão da segurança que visam manter as condições de segurança e garantir uma estrutura mínima de resposta a emergências em caso de incêndio", explica Maria João Conde. Mas não só. Estas medidas pretendem também salvaguardar que os equipamentos e sistemas de segurança contra incêndios estejam em condições de ser operados permanentemente e que, em caso de emergência, os ocupantes abandonem o edifício em segurança.

A mesma fonte chama ainda a atenção para outro facto desconhecido pelos responsáveis de segurança dos edifícios: "Os fornecedores dos serviços de instalação e manutenção de equipamentos de SCIE têm de ser obrigatoriamente registados pela Autoridade Nacional da Protecção Civil para poderem exercer esta actividade. "Muitos clientes contratam serviços a empresas que não estão habilitadas para o efeito", sublinha.

Sobre as medidas de segurança a adoptar, a profissional esclarece que variam consoante o edifício, mas que estas se dividem em passivas (elementos construtivos, como portas resistentes ao fogo ou selagens), activas (equipamentos de combate a incêndio como extintores, sistemas de extinção por sprinklers, carretéis) e medidas de organização, manutenção e gestão da segurança, também conhecidas como medidas de autoprotecção.
fonte:ionline

[Previsão Planoclima] - Aviso não Oficial - 21 a 30 de Março 2014- Frio a caminho e alguma chuva, com possibilidade de queda de Neve >800m

"Fevereiro feveroso, Março escavenoso, Abril ventoso e Maio remeloso fazem o ano formoso."

Amanhã dia do Pai (S. José) o Centro e Sul poderá assistir a belas formações de trovoada para o fim da tarde

Depois,  deste inicio de Primavera antecipada teremos um Quarto Minguante (23/24) frio e húmido mais a N do Tejo, no entanto o regresso da roupa de inverno por uma semana será quase inevitável, uma vez que também existe a possibilidade de queda de neve acima dos 600/700m para as regiões do interior, na madrugada dia 23 mas, sem que antes a 21 venha uma rega para todo o território, claro mais intensa a Norte.

Depois espera-se uma descida acentuada das temperaturas para o dia 22, em que nalguns casos pode descer 8-10ºC e a possibilidade de se manter o tempo fresco até dia 27, no entanto, com uma ligeira subida dos valores da temperatura no dia 25 mas, mantendo  para este diaa previsão de aguaceiros que serão de neve acima dos 700m.

Dia 26 e 27 serão dias de transição com o regresso do sol, embora entre o dia 28 e 30 poderemos mais a Norte ser afectados por uma depressão que poderá originar alguns aguaceiros Invernosos mas, com alguma incerteza na previsão para o último FDS de Março (29/30).

De salientar a oscilação de temperaturas, o frio fora de época mas normal acontecer por vezes em Março e o vento do quadrante Norte durante todo o período, o que não abona em termos agrometeorológicos porque írá coincidir com muita rebentação frutícola e hortícola. O mesmo se aplicará aos humanos onde o regresso de algumas viroses...

Resumindo, o regresso do Inverno e depois ainda teremos o Abril e quem sabe um com um sabor amargo...infelizmente...por isso espero estar enganado quanto ao próximo mês que aí se avizinha.

Bem haja
Mário Marques
Planoclima 2014

quarta-feira, 19 de Março de 2014

Obrigado Bombeiros Portugueses - Dia do Pai


Feliz Dia do Pai!

Especialmente aqueles que são Bombeiros ou que tornaram os seus filhos Bombeiros de Portugal!

Por vocês, vamos PARTILHAR!!!

in: https://www.facebook.com/obrigadobombeiros

Força Aérea decide onde fica Heli

É a Força Aérea que vai decidir a localização do helicóptero do INEM estacionado actualmente em Macedo de Cavaleiros. O Governo encomendou um estudo para basear a decisão em questões técnicas. 

O presidente da Câmara Municipal de Macedo acredita que a análise que está a ser feita pela Força Aérea vai ditar que a melhor localização para o meio aéreo de socorro servir toda a região Norte é em Macedo de Cavaleiros. “O ministro aguarda também que haja um estudo técnico da Força Aérea para dizer qual é o melhor local para que as populações não sofram com a posição do helicóptero. Estou convicto que essa razão técnica nos há-de dar razão também para que ele possa ficar aqui”, realça o edil. 

Em relação ao funcionamento da autarquia, Duarte Moreno confessa que o facto de liderar um executivo sem maioria causa alguns constrangimentos. “Dá-nos um bocadinho de trabalho e passo a explicar, temos reuniões semanais, que têm que ser preparadas e os nossos opositores pedem-nos todas as semanas elementos e isso carece de uma preparação, mas temos pessoas que fazem isso. 

Outra situação é que não delegaram competências no presidente, para poder delegar nos seus vereadores, por isso tudo tem que ir à Câmara, até o simples apanhar de um cão para mandar para o canil tem que ir a reunião de Câmara, e isso causa alguns constrangimentos e leva a uma maior burocracia. 

Um projecto que poderia ser despachado em dois ou três dias pode demorar uma semana, quinze dias, três semanas”, esclarece Duarte Moreno. Para além dos serviços de Saúde, Duarte Moreno fala, ainda, sobre os projectos prioritários e sobre os desafios para os próximos quatro anos numa entrevista que pode ouvir na íntegra aqui na Brigantia depois das notícias das cinco da tarde. 

Multas de incêndios até 60 mil euros

GNR está a esclarecer proprietários de terrenos para a importância da limpeza junto a casas.

A falta de limpeza de terrenos junto a casas, em zonas de risco para incêndios, pode levar a multas pesadas que chegam aos 60 mil euros. Este e outros alertas estão a ser feitos por militares do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da GNR, durante ações de sensibilização nos concelhos de Monchique, Lagos e Vila do Bispo. 

Em antecipação à época de fogos, o objetivo "é a sensibilização das populações para a prevenção de incêndios e para o uso correto do fogo", durante a realização de queimas e queimadas, explicou ao CM fonte da GNR. As últimas ações aconteceram nos mercados de Monchique e de Aljezur, esta semana e na semana passada. 

Depois das ações de sensibilização, ao que o CM apurou, as equipas da GNR vão intensificar as fiscalizações no terreno. Os proprietários individuais que não cumpram a obrigação de limpeza até 50 metros em redor de habitações incorrem em multas entre os 140 e os 5 mil euros. Se o terreno pertencer a uma entidade coletiva, a coima vai dos 800 aos 60 mil euros. 

Os autos de contraordenação serão depois enviados pela GNR para as respetivas autarquias, que são responsáveis pela aplicação das coimas.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/multas-de-incendios-ate-60-mil-euros

Oitenta Bombeiros do Distrito de Vila Real Emigraram em 2013

Cerca de 80 bombeiros saíram em 2013 das corporações do distrito de Vila Real, a maior parte dos quais para emigrar, um número que é classificado como “preocupante” pelo presidente da Federação Distrital de Bombeiros.

A crise económica e a falta de oportunidades de trabalho em Portugal estão a levar muitos bombeiros voluntários a deixarem os quartéis e procurarem novas oportunidades de vida no exterior.

Só no distrito de Vila Real, das 26 corporações existentes saíram 80 voluntários em 2013, menos do que em 2012, ano em que emigraram cerca de 170, mas ainda assim um número que o presidente da federação local, Fernando Queiroga, considerou “preocupante”.

“Por aqui se vê que tem havido uma sangria muito forte destes concelhos do interior. Não há empregos, não há investimento, não há políticas públicas viradas para o interior e as pessoas não têm onde ganhar o seu dinheiro e têm que emigrar”, salientou o responsável.

As saídas devem-se, em muitos casos, às dificuldades em arranjar emprego neste território.

Segundo Fernando Queiroga, a maioria dos bombeiros emigrantes possuem idades compreendidas entre os 20 e 30 anos.

Estas saídas representam, para o responsável, um grande prejuízo para as corporações, até porque se trata, na maior parte dos casos, de “bombeiros com muita formação e há muito no ativo”.

Para compensar as saídas, muitas corporações apostam no recrutamento de novos voluntários.

É o que está a fazer a corporação da Cruz Verde, de Vila Real, a qual, segundo o comandante Miguel Fonseca, perdeu 15 bombeiros desde 2012.

Mas, mais do que com o número de saídas, o responsável mostrou-se preocupado “com a experiência que se perdeu”.

“Porque estamos a falar de muitos ‘bombeiros feitos’, com anos de experiência e alguns deles, inclusive, graduados. O grande problema é a experiência que se perde”, afirmou à Lusa.

Miguel Fonseca referiu que a Cruz Verde promove todos os anos uma escola de recrutas para formação de novos elementos.

A de 2014 arranca em abril e já conta com a inscrição de cerca de uma dezena de inscritos.

“Mas, com estes novos elementos, dificilmente conseguimos recuperar a experiência que se perdeu dos elementos mais velhos que saíram”, salientou.

Apesar disso, segundo acrescentou, a Cruz Verde tem conseguido captar alguns bombeiros de outras corporações e que se deslocam dos meios mais rurais do distrito para a cidade de Vila Real. 

Miguel Fonseca referiu que a formação de um novo elemento “demora pelo menos ano”.

Durante este período, os recrutas têm formação teoria, prática, fazem depois um exame final e ainda têm de estagiar cerca de meio ano para efetivarem a sua promoção.

“Andamos sempre em processos de aprendizagem. Quando temos os nossos bombeiros formados, quando eles têm mais conhecimento, eles vão embora. Estamos num processo contínuo de formação que nos custa muito”, afirmou o presidente da Federação Distrital.

A Cruz Verde possui 115 elementos, espalhados pelo comando, quadro ativo e estagiários. As 26 corporações do distrito contam com 1.071 bombeiros. 
Fonte: jornaldamadeira

ENB: Projeto Floresta Segura Está de Volta

Em 2012, a Escola Nacional de Bombeiros (ENB) desenvolveu, em estreita parceria com o grupo Portucel Soporcel, o Projeto-piloto Floresta Segura com o objectivo de reduzir o número de ignições com origem em fogueiras ou queimas de sobrantes agrícolas. Este programa de sensibilização sobre os princípios básicos da utilização do fogo e da prevenção de incêndios foi implementado em 9 municípios-piloto com diferentes tipologias de incêndio: Alenquer, Góis, Gondomar, Lousã, Mafra, Paredes, Torres Vedras, Valongo e Vila Nova de Poiares. 

Os resultados alcançados foram bastante positivos. Foram claras as vantagens do projeto para os participantes - as populações rurais - que puderam esclarecer questões de legalidade e do uso do fogo. As entidades locais – autarquias, bombeiros, entre outras – também aproveitaram a oportunidade para alertar diretamente as populações sobre a problemática dos incêndios florestais na sua localidade. 

Em 2014, o Projeto Floresta Segura vai voltar ao terreno com 15 ações de sensibilização a realizar, entre março e maio, nas áreas dos distritos de Santarém, Viseu e Porto com mais problemas relacionados com as más práticas do uso do fogo. Em Viseu, foi selecionado o município de S. Pedro do Sul que registou, em 2013, um aumento de ignições por ações negligentes. No distrito de Santarém, as ações destinam-se às populações residentes no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, uma área da responsabilidade do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). Como forma de verificação dos resultados, será mantido o município de Paredes, do distrito do Porto, onde se realizaram ações em 2012 (projeto-piloto). 

O projeto arranca em Rio Maior,onde as ações decorrem entre os dias 22 março e 4 de maio, estando igualmente agendadas outras intervenções no concelho de São Pedro do Sul, entre os dias 5 de abril e 10 de maio, e no Município de Paredes, ainda sem data definida. 

Mas a Floresta Segura não está limitada aos municípios onde decorrem as ações. Qualquer autarquia pode, em parceria com o corpo de bombeiros local, sensibilizar a sua comunidade com recurso aos materiais disponíveis no site da ENB: www.enb.pt 

Em 2014, o Projeto Floresta Segura conta com novos parceiros institucionais: a Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE) e a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) que se juntam à Autoridade Nacional de Protecção Civil e ICNF neste Projeto que a ENB desenvolve com o grupo Portucel Soporcel. São entidades que se uniram para dar um contributo na prevenção de incêndios florestais, preservação do património natural e segurança das populações.

Governo Assegura Sete Milhões para Equipamento de Bombeiros

O secretário de Estado da Administração Interna, João Pinho de Almeida, assegurou hoje um montante de sete milhões de euros, para permitir o equipamento de proteção individual dos bombeiros.

João Pinho de Almeida disse na Assembleia da República, na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, que o concurso será lançado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Na presença do ministro de Administração Interna, Miguel Macedo, o secretário de Estado salientou ainda alterações na formação de bombeiros, aumentando o número de ações dos corpos de bombeiros e descentralizando-as.

O membro do Governo frisou que também os conteúdos das formações foram revistos, notando que "mais bombeiros serão formados ao nível do comportamento do fogo", assim como os chefes de equipa, para que "haja uma maior articulação com os comandos".

João Pinho de Almeida aludiu a um programa de formações externas, que inclui ações para comando em França (equipas de bombeiros francesas estarão igualmente em Portugal) e de elementos dos meios aéreos.

Em 2013, os incênidos florestais em Portugal causaram nove mortos, oito bombeiros e um autarca.

O número de bombeiros mortos no ano passado em combate - mais quatro do que em 2012 - ultrapassou a média anual de três mortes, verificadas desde 1980.

Um inquérito pedido pelo Governo apontava falha humana nas mortes e indicava que os bombeiros negligenciaram a forma de actuação, ao violarem regras de segurança, em sete dos oito casos mortais.

Dados do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas referem que os fogos consumiram 145.385 hectares, mais 31,8 por cento do que em 2012.
Fonte: LUSA

Projétil Poderá Ajudar no Combate aos Incêndios Florestais

“Os fogos florestais são um flagelo nacional e temos de fazer tudo para que não se volte a assistir à tragédia de ver o país a arder”, afirmou a Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional, apontando uma prioridade, depois de assistir à apresentação sumária de 24 projetos de Investigação, Desenvolvimento & Inovação (ID&I) em que o Centro de Investigação da Academia Militar (CINAMIL) participa ativamente.

Berta Cabral ficou particularmente entusiasmada com o projeto FIREND, um projétil de artilharia destinado a combater incêndios em situações atmosféricas adversas, em declive acentuado, com visibilidade reduzida e, disparado à distância, permitindo atingir zonas inacessíveis aos meios terrestres.

Na visita desta sexta-feira à Academia Militar (AM), onde foi recebida pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, General Carlos Jerónimo, a Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional fez questão de enfatizar as missões de interesse público levadas a cabo pelos militares, considerando que “esta dimensão representa o desafio de modernidade das Forças Armadas, que têm de estar prontas para as suas missões e devem estar também viradas para as necessidades das pessoas em tempo de paz.”

Na segunda visita a um Estabelecimento de Ensino Superior Militar, depois de ter estado na Academia da Força Aérea, Berta Cabral lançou o desafio: “As capacidades que existem no interior das academias têm de ser mais divulgadas e postas ao serviço das pessoas”, acrescentando “satisfação e regozijo por saber que há muita investigação e muita parceria com a sociedade civil”.

No Palácio da Bemposta, onde funciona a sede da AM, a Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional assistiu a um brífingue do Comandante, Tenente-General Rodrigues da Costa, que fez um retrato panorâmico da instituição criada em 1837 pelo Marquês Sá da Bandeira, como herdeira da Aula de Artilharia e Esquadria, fundada em 1641. A atual designação é relativamente recente (1959).

A Academia Militar tem 636 alunos, dois terços dos quais pertencem ao Exército e um terço à Guarda Nacional Republicana (GNR), além de alguns bolseiros de países lusófonos. As mulheres são 9 por cento do Corpo de Alunos. Ao longo da história, a AM já formou mais de 15 mil oficiais dos três Ramos das Forças Armadas e da GNR, fornecendo-lhes competências científicas, militares, físicas e comportamentais.

A apresentação das atividades do Centro de Investigação da Academia Militar (CINAMIL) esteve a cargo do responsável, o Coronel Tirocinado Corte-Real Andrade. Além do apoio que presta à Base Tecnológica e Industrial de Defesa (BTID), o CINAMIL é protagonista em 24 projetos diversificados, desde demolições de emergência a aproveitamento de energia geotérmica.

No polo da Amadora da AM, a Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional conheceu as instalações onde estão concentradas a maior parte das atividades letivas e contactou com os alunos, transmitindo-lhes uma mensagem de incentivo para a “nobre missão que têm de cumprir ao serviço das Forças Armadas e do país, com valores, com ideais e com uma cultura”. Berta Cabral testemunhou o entusiasmo dos cadetes pela forma enérgica como executaram o Grito da AM.
Fonte: Defesa.Pt

Mais de 240 Fogos em Cinco Dias

Dados estatísticos são da Autoridade Nacional de Proteção Civil

Mais de 240 incêndios florestais deflagraram em Portugal Continental, entre segunda e sexta-feira, segundo dados estatísticos da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Os 246 fogos que se registaram nos últimos cinco dias foram combatidos por 1.754 operacionais, apoiados por 527 viaturas, adiantam os mesmos dados.

De acordo com ANPC, a maioria dos incêndios ocorreu durante o dia, tendo sido na terça-feira que deflagrou o maior número de fogos, quando se registaram 64.
Fonte: TVI 24

Duarte Caldeira: Bombeiros Lusófonos

Em Outubro de 2007 os oito países de língua portuguesa formalizaram, em Lisboa, a criação de uma organização designada União dos Bombeiros dos Países de Língua Portuguesa (UBPLP).

A criação da UBPLP começou dois anos antes, quando da realização do primeiro Encontro dos representantes dos Bombeiros dos países lusófonos, organizado pela Liga dos Bombeiros Portugueses, nas instalações da Escola Nacional de Bombeiros. Neste importante fórum, os participantes concluíram unanimemente pela urgência da criação de uma estrutura que dinamizasse a cooperação multilateral, no domínio da Protecção Civil e dos Bombeiros.

Assim e após o intenso trabalho desenvolvido, nomeadamente pela LBP, a UBPLP foi institucionalizada tendo como principal objectivo “ Contribuir para o desenvolvimento da cooperação e o reforço dos laços de camaradagem e solidariedade entre os Bombeiros dos Países que têm a Língua Portuguesa como veículo de comunicação, promovendo acções que facilitem a troca de experiências e o conhecimento mútuo”.

Tive a honra de presidir, em representação da LBP e de Portugal, à primeira Presidência Executiva desta organização, no período 2008-2009.

Entretanto em Maio de 2009 realizou-se em Lisboa o Fórum Acção-Cooperação de Protecção Civil e Bombeiros dos Países de Língua Portuguesa, numa iniciativa conjunta da LBP e da Autoridade Nacional de Protecção Civil.

Nesta ocasião foi aprovado o “Programa Indicativo da Cooperação em Protecção Civil e Bombeiros nos Países de Língua Portuguesa”, instrumento orientador para a cooperação, subscrito, ao mais alto nível, por representantes dos oito países Lusófonos.

Em Maio de 2010 Angola assumiu a Presidência Executiva da UBPLP. O Brasil assumiu a mesma responsabilidade em Setembro de 2011.

Entretanto a assembleia geral da UBPLP para eleger os novos órgãos sociais deveria ter reunido em Portugal no ano passado. Tal não foi possível e a organização entrou num período de total estagnação.
Finalmente parecem estar reunidas as condições para, nos próximos dias 7 e 8 de Maio, reunir em Lisboa o V Encontro da UBPLP e assim relançar-se a actividade regular da organização.

Acredito firmemente nas potencialidades da cooperação com os países lusófonos, nomeadamente nos domínios da Protecção Civil e Bombeiros.

Defendo que a LBP deve desenvolver um papel determinante na dinamização deste desígnio. Por isso espero que de futuro isto seja entendido e sejam adoptadas as medidas necessárias para o efeito.

Texto: Duarte Caldeira
In: http://reportercaldeira.blogspot.pt/

36º Aniversário B.V. Torre de Dona Chama

Hoje, dia 16 de Março de 2014, celebramos mais um aniversário desta grande Instituição, da Freguesia de Torre de Dona Chama mas também do Concelho de Mirandela, que é a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Torre de Dona Chama que faz 36 anos de existência, e assim sendo todos nós estamos também de parabéns: Directores, Comando, Bombeiros e Sócios.
Durante estes 36 anos muitas situações e acontecimentos passaram por esta Corporação de Bombeiros, muitos homens e mulheres deram a sua vida em prol dos outros e do seu bem-estar. Neste tempo passaram Directores, Comandantes e Bombeiros e esta Associação sempre correspondeu com os meios à disposição de uma forma sempre digna e de um grande profissionalismo.
Demonstramos grande caracter tanto no socorro, como nos fogos florestais bem como nas provas culturais, recreativas e desportivas sempre que fomos solicitados.
Hoje esta Associação tem todas as condições para olhar para o futuro com grande optimismo, pois temos os meios necessários para desempenharmos com qualidade as funções que um Corpo de Bombeiros deve ter.
Agrademos a todos os bombeiros e sócios, o vosso empenho e ajuda no dia a dia para tornar esta casa cada vez mais respeitada na sociedade em que vivemos.
Um bem haja a todos e VIDA POR VIDA

Abraço amigo

Paulo Miguel
Presidente da Direcção dos BV de Torre de Dona Chama
in:http://bvtorrededonachama.blogspot.pt/

Acidente com trator agrícola mata homem de 82 anos em Estevais

Um homem de 82 anos morreu ao início da tarde de segunda-feira, na localidade de Estevais, concelho de Mogadouro, vítima de acidente com um trator agrícola, disse ao Mensageiro fonte do comando dos Bombeiros locais.

Segundo a mesma fonte, o acidente ocorreu cerca das 14h10, tendo o óbito sido declarado no Urgência Básica do Centro de Saúde de Mogadouro.

"Tratou-se de um despiste da máquina agrícola, seguido de diversos capotamentos. O trator foi parar a cerca de 100 metros da faixa de rodagem da estrada municipal, tendo o homem ficado prostrado a pouco mais de dois metros da berma da via”, contou ao Mensageiro o adjunto do comando dos Bombeiros de Mogadouro, José Carrasco.

Este foi o segundo acidente mortal com tratores agrícolas no espaço de três dias no distrito de Bragança. Na sexta-feira ao final do dia um outro homem morreu no concelho de Vinhais.

quarta-feira, 12 de Março de 2014

GNR prepara operação «Proteger a Floresta 2014»

O dispositivo da GNR de Vila Real anunciou que a operação «Proteger a Floresta 2014» arranca no próximo dia 14 de março.

O Comando Territorial de Vila Real da Guarda Nacional Republicana, informa que no período de 15MAR14 a 14MAI14, irá dar cumprimento á Operação “Proteger a Floresta 2014”.
A referida operação materializa-se no terreno, na execução das seguintes ações:

1. Ações de sensibilização junto das populações, com o intuito de alertar para a importância de todo um conjunto de procedimentos preventivos a adotar, o que permitirá contribuir para a redução dos riscos de incêndio florestal. Estas ações visam abordar assuntos práticos com os quais as populações se deparam, diariamente, entre os quais: - Limpeza de combustíveis nas imediações de habitações, realização de queimas e queimadas, utilização do fogo e outros comportamentos de risco, incêndios florestais, procedimentos e punições.

2. Ações de sensibilização junto dos Estabelecimentos de Ensino, que consistem na realização de ações nas escolas, aproveitando a classe estudantil, como veículo de transmissão desta mensagem junto do seu meio familiar e social.

3. Ações de sensibilização a realizar no âmbito das comemorações do “Dia Mundial da Árvore”.

As datas e locais onde serão realizadas as primeiras ações acima enunciadas serão publicitados antecipadamente na página do facebook do Comando Territorial da GNR de Vila Real
fonte:www.facebook.com/gnr.ct.vilareal

Bombeiros vão passar a receber formação nas corporações

Os bombeiros vão passar a receber formação nas corporações, adequada aos horários de trabalho dos voluntários, e os comandantes vão ter programas formativos mais especializados, segundo o novo plano que é hoje apresentado.

A Escola Nacional de Bombeiros (ENB) apresenta hoje, em Sintra, o Plano Estratégico de Formação dos Bombeiros Portugueses 2014-2016, que tem como objetivos «melhorar o acesso, garantir a qualidade e fomentar a inovação».

O plano, a que a agência Lusa teve acesso, estabelece que as ações de formação devem realizar-se «maioritariamente» nos corpos dos bombeiros e nas unidades locais de formação, reservando-se os centros de formação da ENB para elementos do comando, graduados da carreira e formadores.

Segundo o documento, a formação deve ser realizada «preferencialmente» nos períodos de disponibilidade dos bombeiros voluntários, nomeadamente à noite e fins de semana.

A formação deverá ser assegurada por formadores dos quadros dos corpos dos bombeiros e «devidamente formados e certificados» pela ENB, que devem estar disponíveis em número adequado para dar resposta às necessidades formativas das corporações e da respetiva zona, adianta o plano, sublinhando que se deve «insistir na certificação de formadores dos corpos dos bombeiros de modo a garantir a cobertura em todo o território nacional».

A ENB quer reforçar junto das corporações «o treino e a instrução contínua nos elementos» e realizar provas para ingresso na carreira de bombeiro voluntário.

O novo plano determina também a conceção de programas formativos para os comandantes através de uma formação especializada, dotando os quadros de comando de competências para a gestão de ocorrências de elevada complexidade e reforçar a formação ao nível dos procedimentos de segurança individual e coletiva nos diferentes contextos operacionais.

Os bombeiros vão ter também disponível formação à distância, pretendendo a ENB adotar novas modalidades com recurso à utilização das novas tecnologias com o objetivo de reduzir o peso da formação presencial.

O Plano Estratégico de Formação dos Bombeiros Portugueses 2014-2016 vai ainda introduzir formações específicas com peritos internacionais convidados, além de recorrer a especialistas nacionais que possam constituir uma mais-valia para a qualidade de formação ministrada.

O documento refere que é necessário garantir «permanentemente o acesso à formação inicial e contínua» e concentrar o esforço «na formação adequada às reais necessidades operacionais de cada corpo de bombeiros».

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, vai estar presente na cerimónia de apresentação do documento.
FONTE: Diário Digital com Lusa
foto:P.Ferro

Voluntários de Protecion Civil de Espanha Visitam Bombeiros de Bragança

Uma comitiva de Voluntários da Protecion Civil de Zamora, da região espanhola de Castilla y Leon, visitou no passado dia 24 de Janeiro o Corpo de Bombeiros de Bragança. Zamora é a cidade mais próxima do Nordeste Transmontado e partilha fronteiras com o concelho de Bragança.

A visita, precedida de uma participação comum da Protecion Civil de Zamora e do Corpo de Bombeiros de Bragança numas Jornadas Transfronteiriças de Protecção Civil em Salamanca, propositou a vista desta comitiva ao Corpo de Bombeiros de Bragança.

Trazidos pelo Chefe de Agrupamento de Zamora, David Sánchez, esta comitiva de voluntários de protecção civil veio conhecer a realidade de um Corpo de Bombeiros português, e a integração dos Bombeiros no sistema de Protecção Civil em Portugal. 

Fez-se um visita ao Corpo de Bombeiros de Bragança, conhecendo as suas instalações e equipamentos. Foi explicado como funciona o regime do bombeiro voluntário e as carreiras de bombeiros.

O dia ainda propiciou a que estes elementos pudessem conhecer a zona histórica da cidade de Bragança, assim como a área de intervenção urbana deste Corpo de Bombeiros.

No fim do dia foi servido um jantar nas instalações do quartel dos Bombeiros de Bragança, onde foram recebidos pelo Comandante do Corpo de Bombeiros de Bragança, Major José Fernandes, e foi com satisfação comum e promessa de um regresso, que inclua actividades praticas e de treino, que estes elementos voluntários se despediram dos Bombeiros de Bragança com um “obrigado” em português.

terça-feira, 11 de Março de 2014

Despiste na A4 Faz Ferido Ligeiro



Uma mulher sofreu esta manha um despiste na A4, Km 197, junto à aldeia de Rebordãos.

A condutora, que seguia no sentido Macedo-Bragança, despistou-se sozinha, tendo saído de estrada e capotado para estrada. 

Para o local foram ativados os Bombeiros de Bragança com uma ambulância de socorro e uma viatura de desencarceramento, tendo o alerta sido recebido na central dos Bombeiros de Bragança pelas 08h22.

Na chegada das equipas de socorro já a vitima estava fora da viatura, e a concessionária da auto-estrada já tinha isolado a via, garantindo assim as condições de segurança necessárias para os utilizadores da via.

A vitima não quis ser transportada ao Hospital de Bragança apesar dos conselhos dos socorristas.

O transito esteve condicionado à circulação numa via enquanto se procedia ao desimpedimento da via onde o carro acidentado aterrou.


Camião Carregado de Fardos de palha Tomba no Acesso à A4 em Bragança

Um camião tombou ontem à tarde no acesso à A4 das Cantarias.

Pelas 17h30 o CODU fez chegar um alerta à central de Bragança, em que um camião carregado de fardos de palha teria tombado na rotunda de acesso à A4, no nó das Cantarias e havia 2 encarcerados.

Os Bombeiros de Bragança deslocaram-se para o local com 2 ambulâncias de socorro e uma viaturas de desencarceramento. Também foi enviada a VMER de Bragança para o local.

Na chagada das equipas de socorro já as vitimas, dois ocupantes de sexo masculino, haviam saído da cabine do pesado pelos seus próprios meios. As vitimas foram assistidas no local e não quiseram ser transportadas para a Unidade Hospitalar.

Os trabalhos de remoção da viatura e da sua carga duraram até para lá das 21h. A acesso na rotunda esteve condiçionado enquanto decorreram estes trabalhos.

A PSP de Bragança tomou conta da ocorrência.

Onze Concelhos em Risco Muito Elevado de Incêndio

Onze concelhos dos distritos de Faro, Castelo Branco, Viseu, Porto, Coimbra e Guarda apresentam hoje risco muito elevado de incêndio, de acordo com informação disponível na página da Internet do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Sob risco muito elevado de incêndios estão os concelhos de Vila do Bispo, Aljezur e Lagos (Faro), Mangualde, Nelas, Carregal do Sal e São Pedro do Sul (Viseu), Valongo (Porto), Covilhã (Castelo Branco), Seia (Guarda) e Oliveira do Hospital (Coimbra).

De acordo com o IPMA, há também vários concelhos dos distritos de Faro, Évora, Beja, Setúbal, Santarém, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Aveiro, Viseu, Porto, Viana do Castelo, Braga e Bragança em risco elevado de incêndio.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, variando entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13h00 de cada dia da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação ocorrida nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje no continente céu geralmente limpo, vento em geral fraco do quadrante leste, soprando temporariamente moderado no Algarve e nas terras altas, e sendo de noroeste durante a tarde no litoral a norte do cabo Raso, acentuado arrefecimento nocturno com condições favoráveis à formação de geada em alguns locais do interior das regiões norte e centro.
Fonte: Lusa/SOL

As "Nossas" Bombeiras

Sendo o mundo dos Bombeiros dominado substancialmente por homens, as mulheres têm vindo a ganhar terreno nos dominios e cargos de Bombeiros.

Por isto as algumas das "nossas" bombeiras reuniram-se no passado dia 08 de Março num jantar que decorreu no bar dos Bombeiros de Bragança, assinalando a data do Dia Internacional da Mulher.

Não só as bombeiras, mas também as esposas, irmãs e filhas de bombeiros, participaram neste evento "delas", pois estas também têm um papel importante no que toca ao voluntariado e ao humanitarismo.

O CBBraganca também quer deixar aqui um agradecimento a estas "bombeiras", e felicita-las pelo trabalho que têm feito em torno deste Corpo de Bombeiros.

Obrigado "Bombeiras".


XLIII PERCURSO PEDESTRE ENZONAS 16/03/2014 - MÓS - BRAGANÇA


É já no próximo domingo (16/03/2014) que vamos levar a cabo o nosso XLIII Percurso Pedestre. Saímos de Mós em direção a Paçó, de seguida vamos ao castelo de Pinela e regressamos a Mós, para o habitual almoço convívio. As condições meteorológicas são positivas para este género de percurso.
Contamos com a vossa presença.
As inscrições deverão ser formalizadas através do nosso blog (www.enzonas.blogspot.com) ou através dos contactos que surgem no cartaz em anexo.
Até Domingo

Incendiários que mataram bombeiros arriscam indemnizar Estado



Patrick Teixeira e Fernando Marinho estão em prisão preventiva por atearem fogo à serra do Caramulo


Incendiários da serra do Caramulo causaram enormes prejuízos. Estado, bombeiros, famílias das vítimas e hospitais querem ser ressarcidos.

fonte:CM

Especialistas Prevêem Verão Calmo em Incêndios Florestais

A excepção poderá ser a região da Serra da Estrela e o Alto Minho. Especialistas destacam efeitos negativos da falta de prevenção na altura em que se assinalam seis meses sobre o lançamento da petição sobre a gestão do fogo, que defende a criação de um corpo profissional de bombeiros florestais e a adopção de medidas preventivas.

O próximo Verão deve ser mais calmo em termos de fogos florestais no Norte e Centro do país, prevê o investigador em fogos florestais da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) Paulo Fernandes. 

“Atendendo àquilo que ardeu no ano passado no Norte e Centro, este Verão, em princípio, vai ser relativamente calmo, abaixo da média, em termos de área ardida”, explica à Renascença, alertando para a excepção que pode ser a “região da Serra da Estrela e o Alto Minho”. 

Quando ao Sul, Paulo Fernandes afirma que “é sempre imprevisível porque há muito menos fogos, mas há condições para haver grandes incêndios. Pode acontecer um daqueles incêndios de 20 mil hectares, como o de Tavira, em 2012, ou pode não acontecer absolutamente nada”. 

O investigador sublinha, por outro lado, a falta de prevenção de fogos em Portugal. “O principal problema dos incêndios é a incapacidade dos decisores políticos de entender os problemas estruturais, ou pelo menos de os encarar, de concretizar medidas que vão de encontro aos problemas e não aos sintomas”, alerta. 

A juntar à falta de prevenção, o investigador do Centro de Investigação e de Tecnologias Agroambientais e Biológicas (CITAB) destaca as “dificuldades estruturais da floresta”. 

“Há problemas relacionados com o território: a maioria das propriedades são minifúndios, o que conduz a pouca expectativa de rendimento (devido aos incêndios) e cria um ciclo vicioso. As pessoas não investem porque consideram que o investimento não compensa”, salienta, acrescentando que outro problema prende-se com o uso das chamas pela população rural, uma prática que ocorre durante todo o ano, sem precauções, “e que conduz, variadas vezes, a incêndios florestais”. 

O investigador defende também que o sistema de defesa da floresta contra incêndios em vigor deverá, “para funcionar melhor”, apostar numa “maior integração entre os três pilares, cuja responsabilidade está repartida por três instituições: vigilância e detecção (GNR), prevenção (Instituto da Conservação da Natureza e Florestas) e combate (Autoridade Nacional de Proteção Civil). 

Os alertas do especialista surgem na altura em que se assinalam seis meses sobre o lançamento da petição sobre a gestão do fogo, que defende a criação de um corpo profissional de bombeiros florestais e a adopção de medidas preventivas de incêndios. 

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), sediada em Vila Real, investiga os incêndios de forma contínua desde 1983.
Fonte: RR

II Concurso de Imobilização e Extração de Vitimas

Idoso morre em acidente de trator

Um idoso morreu ao final da tarde de sexta-feira vítima de um acidente trator. A vítima, de 77 anos, natural de Ala, no concelho de Macedo de Cavaleiros, conduzia a máquina num terreno agrícola, situado entre Mogrão e Corujas. O alerta foi dado por volta das oito horas. Quando o socorro chegou ao local, o homem encontrava-se já em paragem cardiorrespiratória, como adianta Luís Fernandes, Adjunto de Comando dos Bombeiros Voluntários de Macedo de Cavaleiros.Apesar das tentativas de reanimação, o óbito foi declarado no Hospital de Macedo de Cavaleiros. As irregularidades do terreno poderão estar na origem do acidente. Um acidente de tractor a fazer mais uma vítima mortal, desta vez um homem de 77 anos, natural de Ala, no concelho de Macedo de Cavaleiros.  
Escrito por Rádio Onda Livre 

sexta-feira, 7 de Março de 2014

Desertificação ameaça bombeiros


A falta de oportunidades de emprego no Nordeste Transmontano é o principal obstáculo à renovação dos corpos de bombeiros da região. Apesar de o recrutamento funcionar, a ausência de perspetivas de emprego levam os jovens a abandonar a região em busca de melhores condições.

O diagnóstico é traçado pelo comandante dos Bombeiros de Bragança, José Fernandes. “A maior dificuldade que temos não é com o recrutamento, pois todos os anos temos cerca de 15 a 20 novos elementos em formação. A questão é que nos chegam com 16, 17 anos e quando chegam aos 20 partem em busca de emprego para outras paragens”, sublinha.

Atualmente, os bombeiros de Bragança têm um curso de formação a funcionar desde o final de novembro. “Apesar de não termos tido uma campanha de angariação de elementos para a escola de estagiários, conseguimos uma quantidade suficiente para a abrirmos. Enquadrámos alguns cadetes para começarem a ter uma introdução. Temos uma escola com 15 estagiários”, explica Paulo Ferro, o formador responsável pelo curso.

O tempo mínimo para frequentar a escola de Bombeiros é de 1 ano, sendo um semestre para formação teorico-pratica e outro semestre de estágio em contexto de trabalho.

Na parte teórica, os bombeiros têm uma formação de seis módulos, seguindo-se um estágio prático de seis meses antes de se tornarem bombeiros de terceira categoria.

Curiosamente, no último verão, as notícias da morte de vários bombeiros em ação estimularam a inscrição de voluntários.

“Suscitou maior curiosidade. Pessoas viram um espírito, pessoas com valores, e muitos vieram juntar-se a nós”, explica Paulo Ferro.

Por outro lado, não se notam ainda os efeitos da crise e do aumento do desemprego. Pelo menos, de forma muito marcante. “Não se tem notado afluência de desempregados. Continuam a ser muitos estudantes. Não ficam todos, como é normal”, sublinha Paulo Ferro. A turma que funciona atualmente tem, no entanto, o caso de um jovem que frequentou a escola de bombeiros, emigrou mas, entretanto, regressou a Bragança e à corporação.

Paulo Ferro lamenta é a diminuição de interesse nos estudantes do ensino superior.
“Sentimos que o IPB nos trouxe muitos interessados. Se bem que nos últimos anos, essa tendência tenha abrandado um pouco. Para os estudantes que até passam muito tempo em Bragança, não seria mau de todo”, conclui Paulo Ferro, também ele estudante do IPB.

Presença delas já é quase ao nível da deles

Se no início era impensável ter mulheres na corporação, há pouco mais de 20 anos a tendência começou a inverter-se e, atualmente, a paridade anda quase ela por ela. “Será de 60-40”, admite José Fernandes, o comandante.

Um dos exemplos é Paula Parada. Todos os anos estabelece objetivos e o de 2014 foi entrar para os bombeiros. “A experiência está a ser bastante positiva. Pensava que não fosse tão complicado. Temos de saber muitas coisas. Para mim vir à formação é um pouco cansativo porque tenho trabalho mas faz-se bem. O objetivo é ser útil para a sociedade”, frisa.

O quartel também se foi adaptando aos novos tempos e já tem estruturas independentes para homens e mulheres.

Jaime Soares é novamente candidato à Liga de Bombeiros Portugueses

marta_soares2Uma nota de imprensa enviada à nossa redação, dá conta de que, Jaime Soares, atual presidente do conselho executivo da Liga de Bombeiros Portugueses será novamente candidato.

Numa reunião do conselho executivo realizada no mês de Janeiro, foi analisada e votada uma proposta de candidatura aos órgãos sociais a apresentar no 41º. Congresso Ordinário da LBP, que tem data marcada para os dias 24, 25 e 26 de Outubro na cidade dos estudantes, em Coimbra.

A decisão foi unânime, todos os elementos que compõem o atual órgão executivo foram a favor de uma recandidatura encabeçada pelo Comandante Jaime Marta Soares.

No entanto, fonte próxima do Portal bombeiros.pt, Rebelo Marinho, atual presidente da Federação dos bombeiros do distrito de Viseu, pode estar neste momento também a preparar uma candidatura ao mesmo órgão tal como fez anteriormente.
FONTE: bombeiros.pt

Acidente com Viatura Ligeira e Bicicleta na Ciclovia do IPB

Um homem de cerca de 40 anos ficou com ferimentos ligeiros, e teve de ser transportado para o hospital de Bragança, após um acidente entre a sua bicicleta e um veiculo ligeiro de passageiros, na passada quarta-feira.

O acidente ocorreu quando o ciclista que seguia na ciclovia do IPB, em frente à escola Agrária de Bragança embateu num carro que saía da mesma escola. O ciclista acabou por ficar com ferimentos ligeiros depois de cair.

Os bombeiros deslocaram-se ao local com uma ambulância de socorro e uma viatura de apoio. O ciclista foi transportado para a urgência do hospital de Bragança.

Naquele local, já se esperava que ocorresse um acidente, felizmente as consequências não foram muito graves. Os muros da Escola Agrária não permitem a visibilidade a quem sai da escola, pois são muito altos e desde a construção da ciclovia que se deviam ter tomado medidas para permitir a visibilidade dos atletas e dos ciclistas que passam naquele local.

quinta-feira, 6 de Março de 2014

Mãe grávida guia carro com os seus três filhos oceano adentro


 Uma mulher grávida, que tinha os seus três filhos no carro, guiou pelo mar dentro, na passada terça-feira ao final da tarde, no estado da Florida, nos Estados Unido, avança o Huffington Post. O momento em que as crianças e Ebony Wilkerson foram salvas foi captado em vídeo por pessoas que se encontravam no local. De acordo com testemunhas, citadas pela publicação, as crianças de 3, 9 e 10 anos gritavam que a mãe os estava a tentar matar. “Os dois que estavam no banco de trás estavam a chorar, com os braços no ar a dizer ‘a nossa mamã está a tentar matar-nos, por favor, ajudem-nos’”, relatou uma testemunha. No vídeo pode ver-se a dificuldade que os salva-vidas tiveram para retirar as crianças, com as ondas quase a engolir o carro. A mãe também foi retirada do veículo pouco depois e apresentava um discurso incoerente quando tentaram falar com ela. A página Wesh.com avança que a família de Ebony Wilkerson, de 32 anos, natural da Carolina do Sul, já havia alertado a polícia para o “comportamento estranho” da mulher, horas antes do incidente. No entanto, as autoridades não encontraram indícios suficientes para agir.
fonte:noticiasaominutos

quarta-feira, 5 de Março de 2014

Viatura destruída e jovem sofre apenas leves escoriações

fotografia - acidente

Um acidente violento feriu, esta amanhã, um jovem em Macedo de Cavaleiros.

O jovem sofreu hoje ferimentos ligeiros após a viatura em que seguia ter entrado em despiste na reta da Choupada, à saída da cidade.

O carro capotou, tendo ficado em muito mau estado, já o condutor do veículo ligeiro, de 28 anos sofreu apenas leves escoriações e foi transportado pelos Bombeiros para a Unidade Hospitalar local.

A viatura seguia na Estrada Nacional 216, no sentido Macedo de Cavaleiros – Mogadouro, a meio da reta o condutor terá perdido o controlo do automóvel, entrado em despiste, seguindo-se o capotamento.

O jovem, de apenas 28 anos é natural da freguesia de Morais, e actualmente reside em Bragança.

O alarme soou por volta das 11horas e no socorro ao acidentado estiveram nove elementos do corpo de Bombeiros de Macedo de Cavaleiros, apoiados por duas viaturas.
 foto:BVMC
Escrito por ONDA LIVRE 

Palestra "Sistemas de Suporte à Decisão em Protecção Civil" - 7 de Março

Na próxima sexta-feira 7 de Março, pelas 09h30 irá ter lugar uma palestra na Sala 3.5 do Departamento de Engenharia Mecânica da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra intitulada "Sistemas de Suporte à Decisão em Protecção Civil ".

A palestra, organizada pela ADAI, será proferida pela Drª Patrícia Pires, do Núcleo de Riscos e Alerta da Autoridade Nacional de Protecção Civil .

A participação é gratuita.

Bombeiros Não se Apresentaram a Concurso Para Transporte de Doentes

Dez operadores privados apresentaram propostas ao concurso de transporte programado de doentes, lançado pelo Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto.

Não houve candidaturas de bombeiros, que tinham anunciado boicote.
O transporte de doentes para consultas e tratamentos vai continuar, assim, a ser assegurado por privados.

Terminado ontem o prazo de candidaturas, dez empresas apresentaram-se a concurso, confirmou o JN junto do presidente do Conselho de Administração do IPO do Porto.

Alguns dos operadores propuseram se cobrir parte da Região Norte e Laranja Pontes admite que haja mais do que uma empresa a assegurar o transporte de doentes que precisam de deslocar-se àquela unidade de saúde.

As 118 corporações de bombeiros dos cinco distritos do Norte (Porto, Braga, Bragança, Viana do Castelo e Vila Real) tinham anunciado o boicote ao concurso dos valores pagos pelo hospital.
Laranja Pontes responde que o pagamento é feito com base na tabela do Ministério da Saúde e as exigências relativas às ambulâncias são as que constam na lei.

"As ambulâncias podem transportar mais do que um doente. O valor pago pelo primeiro doente é 100% da tabela, o segundo e o terceiro a 20%. 
É o que está convencionado. Os bombeiros não podem querer viver à custa dos hospitais."
Fonte: JN

LBP: Protocolos de Cedência de EPI Não Conformes